Professor da UERR faz palestra na 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde

Foto: Willamys Barros Lima

 

O professor Bruno Miranda da Rocha, da Universidade Estadual de Roraima, proferiu a palestra “Vigilância em saúde participativa e democrática para enfrentamento das iniquidades sociais em saúde”, na tarde de ontem (30), durante a 1ª Conferência Estadual de Vigilância em Saúde.

A Conferência tem por objetivo fortalecer as ações de prevenção e proteção na saúde da população, como também promover o diálogo entre a sociedade e a gestão, para melhorar o acesso aos serviços de Vigilância em Saúde.

O evento é aberto à população e conta com representantes da saúde dos municípios, movimentos sociais, conselhos de classes e os profissionais de saúde. Teve início ontem (30), na Etsus (Escola Técnica de Saúde do SUS). As palestras e debates serão encerrados hoje às 18 horas.

O professor Bruno é doutorando em Biociências pela Unirio, é mestre em Ciências da Saúde pela UFRR e é professor de Saúde Coletiva Epidemiologia e Metodologia do Trabalho Científico na UERR.

A reunião destes profissionais busca propor novas ações para a formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde e o fortalecimento de ações de promoção e proteção. Neste ano, o tema central é Vigilância em Saúde: Direito, Conquista e Defesa de um SUS (Sistema Único de Saúde) público de qualidade.

Desde o mês de agosto, foram realizadas conferências municipais em todo o Estado, nas quais os representantes locais puderam elaborar propostas com base no que observam na prática. Estas propostas serão apresentadas na Conferência Estadual e após isso, serão definidas quais devem ser levadas para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, realizada em Brasília, nos dias 28 de novembro a 1º de dezembro.

VIGILÂNCIA – A Vigilância em Saúde é a área da saúde que exerce ações para reduzir a morbidade e mortalidade por doenças e agravos transmissíveis e não transmissíveis. Isso é feito por meio da prevenção, controle e redução de riscos e danos ambientais, sanitários e ocupacionais que interferem na saúde da população. No âmbito estadual, a CGVS (Coordenação Geral de Vigilância em Saúde) supervisiona, avalia e presta assessoria técnica para as atividades executadas pelos municípios.

* Com informações da Secom